sexta-feira, 21 de julho de 2017

Nas asas do vento



Senti uma brisa suave pela janela entrar 
No meu rosto triste ela veio tocar 
Abri meus olhos na esperança de alcançar 
A meiguice do seu intenso olhar. 

Na noite escura da minha solidão 
Busquei seu sorriso na imensidão 
Queria que fosse o alento do meu coração 
Pois você é, do meu viver, a razão. 

Nas asas do vento tentei te esquecer 
Voei para longe para não mais te ver 
Só queria minha vida viver 
E deixar em meu peito outro amor nascer. 

Seus olhos foram à razão do meu amor 
Distante deles sinto imensa dor 
O sol já não tem brilho nem calor 
E, no meu jardim, morreu essa flor. 

Deixo-me voar nas asas desse vento 
Para buscar-te no meu pensamento 
Tentar ter paz neste momento 
Em que tenho você no meu sentimento. 

Poema: Odair José, o Poeta Cacerense

terça-feira, 4 de julho de 2017

Ao meu amor



As flores perfumadas do caminho 
Irradiadas pelo sol da manhã 
Fizeram meu olhar buscar o horizonte 
Para descobrir o seu amor. 
O pássaro que voou perto de mim 
Deixou transparecer suas cores mágicas 
Um brilho intenso a ofuscar minha visão 
Por mais que buscasse o seu olhar. 
Meu amor por você é especial 
É um amor que permanece imutável 
Mesmo com os obstáculos 
Que surgem a cada dia. 
Seus olhos são a esperança que move-me 
A sonhar com dias melhores 
Pois seu olhar é como uma torre forte 
Que não se abala com a tempestade. 
Seu sorriso é a força motriz 
Que alegra as manhãs gélidas do tempo 
Faz-me esquecer as tristezas 
Que abalam minha emoção. 
Aprendi a amar-te com o tempo 
E viver a paixão dos seus encantos 
Você é a razão do meu viver 
O sonho lindo do meu adormecer. 
Quero estar sempre ao seu lado 
Mergulhar nas suas emoções 
Viver a magia dos seus sonhos 
E navegar as suas fantasias. 
Sou a vida que passa devagar 
Na sombra fresca de uma árvore 
Você é o refúgio do sol abrasador 
E a minha fonte de amor. 

Poema: Odair José, o Poeta Cacerense